Prefeito Edmir Gonçalves entrega projeto ao presidente Marcelo

Empresa Dekel pretende ocupar área doada para JR Esquadrimar. Projetos de doação da Faita para Itaipu estão na Câmara

Desenvolvimento industrial e geração de empregos são temas debatidos na Câmara nesta semana.

Na tarde de terça-feira (22), o prefeito Edmir Gonçalves (PTC) esteve no Legislativo, reuniu-se com os vereadores Rodrigo Novelli (PRB), Alex Avansi (DEM), Rafael Canova (PSDB) e Miriana Amatto (PR) e entregou diretamente ao presidente Marcelo Martins (PSL) projeto de lei que autoriza a prefeitura a concordar com a transferência para a empresa Dekel Alimentos do imóvel cedido inicialmente para a empresa JR Esquadrimar.

O terreno, de 46 mil metros quadrados e com barracão já edificado, fica no Distrito Industrial Vicente Nigro, que margeia a Avenida Prefeito Tarquínio Bellentani, após o Jardim Santa Clara.

Notícia em áudio

O projeto menciona apenas que a prefeitura concordará com a transferência da titularidade do imóvel já doado. Não há previsão de assunção, pelo poder público, de responsabilidade sobre custos e indenizações do negócio.

A empresa Dekel atua no ramo de processamento de óleo e gordura vegetais. De acordo com informações enviadas ao Conselho do Programa de Desenvolvimento Industrial, no auge da produção, a empresa deve gerar 180 empregos diretos.

Nesta semana, o presidente Marcelo Martins recebe os proprietários para ouvir as pretensões da empresa.  

Faita à empresa Itaipu

Dois projetos de lei tramitam na Câmara para regulamentação da doação do recinto da Faita à empresa Itaipu Transformadores.

O primeiro altera a Lei de Zoneamento de forma a  permitir uso industrial da área onde está o recinto. O Zoneamento atual classifica o setor como residencial.

O segundo projeto dispõe sobre a doação específica do Recinto para a Itaipu.

A empresa deve construir no local um novo barracão com dois mil metros quadrados e empregar entre 20 e 50 funcionários na nova área de expansão.

As matérias começam a tramitar formalmente na Câmara a partir de fevereiro, quando é retomado o período ordinário.

A alteração na Lei de Zoneamento depende de audiência pública para chegar ao Plenário.

Jornalismo – Câmara Municipal