Os registros históricos datam o ano de 1896 como o de instalação da primeira Câmara de Vereadores na antiga “Pedras”. O mandato inaugural foi do dia 07 de janeiro de 1896 até o final do ano de 1898, mas muitos vereadores renunciaram antes de terminar a Legislatura. À época, o próprio prefeito José dos Santos Borba presidia a Câmara e seguiu na chefia também do Legislativo até o dia 18 de setembro de 1896, quando José Rossi, eleito para ocupar vaga de renunciantes, assumiu a presidência da Câmara. O próprio prefeito José dos Santos Borba renunciou ao Legislativo no dia 20 de outubro de 1896.

A primeira Câmara de Vereadores de Itápolis era composta por José dos Santos Borba (prefeito municipal e presidente da Câmara – renunciou ao Legislativo posteriormente), José de Carvalho Leite (vice-presidente), José Bento Tripeno (renunciou), Francisco Antonio Barleta, Ângelo Gabriel Cianfloni, Joaquim Paes de Oliveira (renunciou), Luis Salvador Monzillo, Bento de Siqueira (renunciou).

Ocuparam as vagas dos renunciantes os seguintes vereadores: Primo Firmo Fernandes, José Rossi, Jesuíno Soares de Arruda e Alexandre José Caetano. O vereador João Batista de Oliveira e Ávila ocupou a vaga deixada pelo prefeito José dos Santos Borba. Isso tudo no primeiro ano da primeira Legislatura.

Em 1897, os vereadores Ângelo Gabriel Cianfloni e Luis Salvador Monzillo também deixam os cargos para assumirem Evaristo de Araújo Leite e João Pinto Ribeiro. No dia 25 de junho de 1897, Primo Firmo Fernandes deixa a vaga de vereador para assumir a Prefeitura e em seu lugar entra Benedicto Mariano de Siqueira, que renuncia no dia 28 de dezembro do mesmo ano. Junto com ele saem Alexandre José Caetano e Jesuíno Soares de Arruda. Para ocupar os lugares vagos assumem José Pereira dos Santos Júnior, Domingos Alves do Vale e José Firmino de Lima. Em 30 de janeiro de 1898, José Pereira dos Santos é eleito vice-presidente da Câmara e João Batista de Oliveira e Ávila é eleito prefeito municipal.

Passados mais de cem anos, a Câmara Municipal tem um aspecto absolutamente diferente do passado (o que é lógico).

No ano de 1994 foram edificados alguns pilares sobre os quais a Câmara Municipal se sustenta até hoje. O conjunto de medidas tomadas naquele ano marca ainda de forma expressiva a realidade do Legislativo. Sob a presidência do vereador e médico Michelangelo Antonio Mortati Júnior começou o processo de modernização e autonomia da Câmara Municipal. A medida mais contundente foi o desmembramento do setor contábil. A partir do exercício financeiro de 1995, a Contabilidade da Câmara Municipal não mais estava vinculada à Prefeitura. A medida foi tão certeira que, dois anos mais tarde (em 1997), o Supremo Tribunal Federal obrigou o desmembramento de todas as Câmaras Municipais.

 Nove vereadores compõem a Legislatura atual.

Flávio Morais Jornalista

 

 Bibliografia

CALDEIRA, João Netto. Álbum de Itápolis.Itápolis: s/e., 1934.

DEL GUÉRCIO, Ludovico (org). Itápolis: Álbum Ilustrado. Itápolis: s/e., s/d.

HAUERS, Nancy. Nossa Terra, Nossas Raízes. Itápolis: Santo Antonio, 2000.

LEME, Paes Jr. Breves Notícias Históricas Sobre Itápolis. Itápolis: s/e, 1938.