Alteração no Finisa é rejeitada

Vencimentos do prefeito e do vice foram alvos de debate

A Câmara de Vereadores de Itápolis se reuniu em sessão ordinária na noite de segunda-feira, dia 13 de maio.

Mesmo sem debates no início e de maneira rápida, o primeiro projeto votado foi rejeitado pela maioria dos vereadores. Trata-se de alteração na Lei 3472/2019, que autorizou o prefeito a contrair operação de crédito e financiar junto à Caixa Econômica Federal o valor de R$ 5 milhões para recape de vias da cidade.

A matéria pretendia alterar o artigo relacionado às garantias a serem dadas pelo município para ajustar os termos da Lei ao que pretende a Caixa Econômica Federal.

Mas, os vereadores Professor Antonio (MDB), Edmércia Micheletti (PSB), Miriana Amatto (PR), Rodrigo Novelli e Ricardo Negrão (PTB) votaram contra e rejeitaram o projeto. A favor, votaram Rafael Canova (PSDB), Alex Avansi (DEM) e Tonicão D’Agostino (PSDB), mas não constituíram maioria.

O segundo projeto votado foi aprovado e tem autoria do vereador Rodrigo Novelli (PRB). A matéria proíbe a cobrança da taxa para restabelecimento do serviço de abastecimento residencial e comercial de água a todos que tiveram o serviço cortado. A taxa também é conhecida como taxa de religação de água.

De acordo com o vereador, a taxa é abusiva, visto que o consumidor já paga as taxas normais de consumo.

Os únicos votos contrários foram de Alex Avansi (DEM) e Tonicão D’Agostino (PSDB).

Veja a pauta completa da sessão

Clique aqui e ouça a versão em áudio desta notícia

Salário do prefeito e do vice

Um dos debates mais intensos se deu em torno da remuneração do mês de abril do prefeito e do vice-prefeito municipal. Ricardo Negrão propôs moção de repúdio a ambos pelo recebimento em valores brutos de R$ R$ 77.158,94 ao prefeito e R$ 33.249,97 ao vice.

Os valores se devem ao pagamento atual e retroativo de valores referentes a férias, abono de férias e décimo terceiro salário.

Negrão também propôs requerimento pedindo a base legal e o processo administrativo que autorizaram o pagamento. De acordo com o vereador, as informações servirão para base de futura representação perante os órgãos de controle.

A moção e o requerimento foram aprovados por unanimidade.

A próxima sessão ordinária será na segunda-feira que vem, dia 20 de maio de 2019, às 18h30.

→Assista à sessão de 13 de maio

Jornalismo – Câmara Municipal