Luiz Franchini mostra detalhes da Itaipu Transformadores

Área pretendida pela empresa é de 25.000 m2 no recinto da Faita

Os vereadores manifestaram apoio à proposta de doação de parte do recinto de exposições “Vereador Antonio Coletti”, (Faita), à empresa Itaipu Transformadores, cujas instalações principais estão localizadas em frente ao recinto. O aceno dos parlamentares se deu na audiência pública realizada pela Câmara na noite de segunda-feira (17).

A empresa solicita doação de 25.000 m2 do local, o que corresponde aproximadamente ao quadrado que começa nas baias e vai até a divisa com a Avenida Maria de Lourdes Porto Francischetti. A área total do recinto é estimada 73.000 m2, incluindo setores de estacionamento e leilão de gado.  

O diretor geral da empresa, Luiz Roberto Franchini apontou que a Itaipu está crescendo e precisa se manter competitiva no mercado. A pretensão é construir imediatamente na nova área um espaço de 2.000 m2, que gerará número estimado entre 20 e 50 empregos. Ao longo do tempo e com as projeções de crescimento, a empresa ocupará todo o espaço doado.  

Atualmente, a Itaipu Transformadores conta com 403 empregados. Quando se instalou em Itápolis, em 08 de setembro de 2004, a expectativa era gerar 100 empregos.

O prefeito Edmir Gonçalves (PTC) enalteceu a decisão de Luiz Franchini de investir e ampliar a produção em tempos de crise nacional. Os vereadores foram unânimes no apoio à doação, valorizando iniciativas de geração de emprego e renda para o município.

A Câmara participará do processo ao ser consultada sobre alteração na Lei do Zoneamento, que deve prever uso industrial para a área do recinto da Faita. Em seguida, também se pronunciará sobre a doação propriamente dita.

Veja as imagens da audiência

Terceira Idade

O advogado Pedro Paulo Pini, que representa grupos de terceira idade que se utilizam do salão do recinto para realização de bailes, cobrou ações em favor da população idosa, que perderia o espaço. Pini questionou a doação e reivindicou outro local.

De acordo com a lei que rege o Programa de Desenvolvimento Industrial de Itápolis, o Prodei, se receber a área, a Itaipu Transformadores deve se comprometer a gerar empregos e não paralisar suas atividades pelo tempo ininterrupto de dez anos.  

→Assista à audiência pública de 17/9

Jornalismo – Câmara Municipal