Raphael responde aos questionamentos dos vereadores

Superávit até setembro de 2017 é de R$ 247 mil. Inadimplência é de 16%

O superintendente do Serviço Autônomo de Água e Esgoto, Raphael Scalice, atendeu convocação da Câmara e respondeu, por quase uma hora e meia, os questionamentos dos vereadores em temas que envolvem a gestão da autarquia, abastecimento de água e dados estatísticos. A sabatina aconteceu na sessão da noite de quarta-feira (18).

De acordo com o superintendente, a sede do município produz 600 mil litros de água por hora, com trabalho médio de 18 horas diárias das bombas. A perda é de aproximadamente 25%.

Bairros da parte alta da cidade, como Campestre, Morumbi e Itália, são os que sofrem falta de água com mais frequência. Na maioria dos casos, o problema de abastecimento se deve a defeitos nas bombas. Raphael acredita que o problema diminuiria com a aquisição de bombas reservas para cada poço.

Outras medidas que aplacariam a falta de água são a construção de reservatórios e combate às perdas. De acordo com o superintendente, a setorização, que enviaria água de um local para outro, é complexa, demorada e cara, pois a rede é entrelaçada.

Números do SAAEI

Os débitos em atraso, de 2016 para trás e classificados como dívida ativa, somam R$ 2,8 milhões. Em 2017, a taxa de inadimplência é de 16%, o que significa que a autarquia deixou de arrecadar R$ 900 mil.

Raphael salientou, porém, que 80% das notificações de débitos expedidas pela autarquia são pagas.

As contas do SAAEI são boas, o que gerou superávit de R$ 247 mil até setembro deste ano. O superintendente ressalvou, entretanto, que há investimentos a serem feitos, o que obriga a realização de estudos para reajuste das taxas no ano que vem.

Assista à sessão

Jornalismo - Câmara Municipal