Vereadores e comandantes da PM na reunião de 19/6

Reunião na Câmara foi motivada por pedido de vereadores para aumento do efetivo

O número de policiais que atuam em Itápolis e as responsabilidades dos órgãos públicos na promoção da segurança foram os temas abordados na reunião entre os vereadores Alex Avansi (DEM / Presidente da Câmara) e Ricardo Negrão (PTB) com os policiais militares Capitão Ricardo Costacurta Filho e Primeiro Tenente Sílvio Osório Pereira Dias.

O encontro, que aconteceu na tarde de segunda-feira (19), na Câmara, foi motivado por pedido formal dos vereadores Rafael Canova (PSDB), Rodrigo Novelli (PRB) e Ricardo Negrão ao Comando do Batalhão de Araraquara para aumento do efetivo policial de Itápolis.

Costacurta, que comanda a Companhia de Polícia de Taquaritinga (da qual Itápolis faz parte), e Sílvio Osório, que comanda o Pelotão local, apontaram a atividade delegada como solução mais rápida para o déficit de policiais nas ruas.

Os comandantes salientaram, porém, que o déficit de policiais de Itápolis é proporcionalmente similar ao da maioria das 19 cidades que integram o 13º Batalhão de Araraquara.

Há, em Itápolis, 39 vagas para policiais. Apenas 30 estão preenchidas, o que gera um déficit de 23%.

Atividade delegada

Classificada pelos militares como a via mais rápida para colocar policiais nas ruas, a atividade delegada é uma jornada extraordinária da Polícia, com pagamento feito pelas prefeituras municipais. Os policiais trabalham fardados em horários de folga, sob o comando da corporação, em escalas de oito horas. Além de realizarem ações de segurança pública, podem auxiliar o município nas questões relacionadas à polícia administrativa.

Para se efetivar em Itápolis, é necessário que o município firme um convênio com a Secretaria de Estado da Segurança Pública. O custo estimado por mês é de R$ 12 mil.

Jornalismo – Câmara Municipal