Vereadores acompanham audiência

Secretário de Finanças diz que despesa está crescendo em termos assustadores

A Câmara de Vereadores recebeu audiência pública para a apresentação da peça inicial da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2018. Em tom de pouco alento, as informações foram apresentadas pelo secretário de Finanças, Adroaldo (Tiquinho) Curioni, na manhã de quarta-feira (12). 

A expectativa de crescimento econômico abaixo do esperado motivou a criação da estimativa orçamentária de 2018 sem qualquer elevação em relação a 2017.

Números

Curioni e a secretária adjunta, Lucilene Manzoni, ilustraram em números o cenário turvo.  

O saldo de precatórios com posição em 31 de dezembro de 2016 é de R$ 7,3 milhões. Com isso, o município fica obrigado a realizar depósito mensal de R$ 160 mil junto ao Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

No mês de abril, a prefeitura deve pagar R$ 434 mil em requisições judiciais consideradas de baixo valor (até 30 salários mínimos). Em maio, o recolhimento será de R$ 233 mil. Os números se somam aos R$ 160 mil de precatórios.

“A despesa está crescendo em termos assustadores”, cravou Tiquinho Curioni.

Melhora na arrecadação

Ações para melhorias na arrecadação da prefeitura foram anunciadas.

Uma equipe de trabalho, conforme mencionaram os membros da prefeitura, vai ser composta no segundo semestre para revisão do Código Tributário do município.

Os vereadores e munícipes sugeriram práticas como atualização da planta genérica, com objetivo de atualizar os valores dos imóveis, especialmente da parte mais antiga da cidade.

A redução de despesas também foi apregoada. “Não tenho mais onde cortar. É todo dia cortar, cortar”, desabafou Curioni.

→Assista à audiência

Jornalismo – Câmara Municipal